The Economist diz que “Bolsonaro representa um perigo”

0
65
FOTO: Alexandre Cassiano / Agência O Globo

A revista britânica The Economist fez críticas ao cenário político do Brasil e ao candidato a presidência da República, Jair Bolsonaro, do Partido Social Liberal (PSL). O nome em tradução livre da matéria é “Brasília, temos um problema: O perigo representado por Jair Bolsonaro“.

“Mesmo não ganhando o candidato representa o que o centro da política está desmoronando, pelo fato de chegar onde está”, afirma a publicação. De acordo com a reportagem, antes do momento de pré-eleições “ele era um congressista obscuro cujo principal talento estava em causar ofensas”.

São citados casos que ganharam muita repercussão no país, como o momento em que o deputado federal afirmou que preferia um filho morto a um gay, em 2011. Citou também quando, em 2014, ele afirma que não estupraria a deputada Maria do Rosário (PT) por ela ser “feia”.

The Economist afirma ainda que Bolsonaro só conseguiu chegar onde chegou pelo que chama de “descrença em toda a classe política” pela população e gerada pela investigações de figuras importantes do país principalmente pela operação Lava Jato, no qual o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, também criticado pela matéria.

Após explanar sobre as ideias do candidato, a revista deixa claro que considera a postura dele em relação a direitos humanos e outros assuntos da base de seu discurso como “autoritária”. Também relembra a homenagem ao torturador Carlos Alberto Brilhante Ustra, quando o deputado foi proferir o voto à favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

Veja mais: Bolsonaro diz que não responde por declarações de seu vice

Vice de Bolsonaro liga índio à ‘indolência’ e negro à ‘malandragem’

Discurso de Janaína Paschoal irrita aliados de Bolsonaro

Da Redação Paraíba Debate com Rafaela Benez/Metrópoles

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY