Galdino articula audiência entre gerente do Banco do Brasil e prefeito para tratar de reabertura de agência em Tapeorá, e garante: “A luta começou agora”

0
377

O deputado estadual Adriano Galdino (PSB), esteve ontem, segunda-feira (12), articulando audiências entre o prefeito de Taperoá, Jurandi Pileque (MDB), e órgãos do Governo do Estado com a finalidade de apresentar as demandas do município.

Segundo Galdino, a agenda com o prefeito Jurandi teve início na Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social, comandada por Cláudio Lima. “Logo pela manhã conversamos com o secretário Cláudio onde pudemos dialogar sobre a melhoria da segurança pública em Taperoá. Cláudio se comprometeu em mudar a base territorial da cidade que hoje pertence a Esperança para o Pelotão de Patos, que fica mais próximo de Taperoá. O secretário também nos adiantou que já determinou estudos para implantação um Pelotão da Polícia para atender toda a região”, garantiu.

Sobre a atuação da Polícia quando a agência do Banco do Brasil no município for reaberta, o socialista afirmou: “Nos dias de pagamento será colocado um efetivo ostensivo na cidade e na região para garantir tranquilidade ao povo. Além disso, Cláudio enviou um representante, a pedido nosso, para a audiência com a gerente do banco na Paraíba, Dr. Maristela. Essa reunião contou com a presença do prefeito, do vice, dos vereadores da oposição e da situação, dos deputados votados em Taperoá e ficou claro que o primeiro passo para a reabertura da agência foi dado.”

“É importante deixar claro para a população que essa luta começou agora, pois até então não havia nada de concreto. A Prefeitura terá que enviar para o Banco do Brasil um diagnóstico social, político e econômico da situação de Taperoá com o fechamento da agência e a partir deste relatório será marcada uma audiência em Brasília para que só assim, a classe política paraibana possa fazer exigir a reabertura do Banco do Brasil no município”, complementou Adriano.

O parlamentar ainda lembrou que o Banco do Brasil possui uma responsabilidade social. “Precisamos enquadrar em nível de Assembleia Legislativa junto com o povo da Paraíba o banco, para que ele possa cumprir o seu papel social, de ser um banco que traga riqueza e desenvolvimento para as regiões mais carentes, e não só visar o lucro. A população pode contar comigo na defesa desse pleito”, pontuou.

Veja também:

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY